Prefeitura Municipal através da Secretaria de Saúde- Vigilância Epidemiológica – Informe Epidemiológico

Informe Epidemiológico

Índice de infestação predial.

O índice mede a quantidade de focos encontrados nas residências de Afonso Cláudio. Do mês de fevereiro para março esse índice diminuiu indicando que durante as visitas dos agentes, mesmo com toda a conscientização que está sendo realizada ainda assim encontra-se o mosquito transmissor da dengue, por isso a população tem que ficar  atenta e ajudar no combate ao mosquito transmissor.

 

 

Situação epidemiológica até a semana 13 do ano de 2016

 

O ano é dividido por semanas na Vigilância, e até a semana 10, ou seja, até a segunda semana de março já havia demonstrando uma diferença do ano anterior, com um número baixo de casos, mas constante. A vigilância manteve intensificando as ações de campo, também foram feitas inúmeras ações educativas em parceria com escolas, polícia Militar, APAE e Igrejas do Município, 02 mutirões esse ano e bloqueio de áreas e casos. Até a semana 10 foram notificados 25 casos e confirmados 05 casos, tendo um pequeno aumento dos casos a partir da semana 11, e mesmo com todas as ações não conseguimos ficar imunes ao aumento dos casos e só dando um salto nestes números de casos na semana 13, ou seja, a partir do dia 27 de março, durante o período da Semana Santa, passando a 69 casos notificados no ano de 2016 até a semana 13. Ainda investigam-se a possibilidade de haver, em conjunto com os casos positivos, casos de intoxicação alimentar, ou seja, nem todos os casos notificados essa semana serão positivos. Há pessoas que estão pescando no rio próximo a esgotamento sanitário, e o risco para quem consome desses peixes é alto, pois trata-se de animais contaminados pelo esgoto. Pedimos à população que ajudem no combate ao mosquito transmissor, identificamos que tem muitas pessoas que não estão dando a devida importância ao que está ocorrendo no Brasil e em nosso município, ainda estão acumulando lixo no quintal, ainda estão sendo criadores do Mosquito do tipo Aedes aegypiti, se todos fizessem a sua parte ninguém ficaria doente, pois esse mosquito é criado dentro da residência, e se ele está nascendo é porque as pessoas estão ofertando espaço em suas próprias residências para que isso ocorra.

O Maior número de casos da semana 13 ocorreram no Bairro Boa Fé, no Morro do Romário e no Bairro São Tarcísio, na Rua Joaquim Peregrino dos Santos. A Vigilância e a Defesa Civil fizeram busca ativa nessas localidades e foram encontrados inúmeras residências com focos do mosquito do tipo Aedes Aegypiti, foi realizado eliminação desses focos, feito fumacê e  bloqueio de casos.